Como (Paulo) Wanderley Teixeira Interferiu no Surfe.

Não foi apenas na eleição do conselho de ética que (Paulo) Wanderley Teixeira (indevidamente) interferiu. O hesitante presidente do COB tomou partido em eleições de diversas Confederações, buscando sempre não aparecer. Como ele perdeu feio a eleição entre as Confederações, (Paulo) Wanderley Teixeira estabeleceu o seguinte: (a) derrubar os presidentes de Confederações que haviam votado contra ele; e (b) manter nos cargos aqueles das Confederações consideradas amigas. Com essa estratégica militaresca, (Paulo) Wanderley Teixeira agiu em quase todas eleições de Confederações.

Aqui vou narrar o que ocorreu na Confederação Brasileira de Surfe.

A Promessa de ajuda em troca do voto.

Adalvo Argolo era o presidente da CBSurfe. Ele votou em (Paulo) Wanderley Teixeira. Em contrapartida recebeu a promessa de que o COB iria lhe ajudar a manter-se no cargo.

As batalhas judiciais de Adalvo Argolo.

Acusado pela comunidade do Surfe de cometer irregularidades na Confederação, o presidente Argolo envolveu-se em uma série de batalhas judiciais com seus opositores que, entre outras coisas, também questionavam a legalidade de sua reeleição. Eram diversas medidas judiciais, que se arrastavam por muitos anos. Só quem tinha a perder com essas infindáveis brigas na Justiça era o Surfe brasileiro, uma modalidade vitoriosa. Estava claro que a comunidade do Surfe brasileiro não mais queria Adalvo Argolo à frente da Confederação. Mas ele resistia, intentando todos os recursos possíveis para postergar a decisão final.

Os advogados de Adalvo Argolo.

Argolo esteve representado por excelentes advogados, respeitados e, por isso, sabidamente caros. Quem pagou pelos justos honorários dos advogados de Adalvo Argolo?

O final da contenda jurídica.

Após cerca de quatro, ou cinco anos, a Justiça finalmente pronunciou-se de forma definitiva contra Adalvo Argolo e determinou a realização de novas eleições na Confederação. O candidato de oposição, atleta, Teco Padaratz, teve uma vitória acachapante. Não havia mais nada que (Paulo) Wanderley Teixeira pudesse fazer para manter no posto Adalvo Argolo.

Prejuízo para o Surfe.

Durante os longos anos em que a Confederação Brasileira de Surfe esteve sub judice, quem perdeu foi o esporte. (Paulo) Wanderley Teixeira não se importou com os rumos da modalidade. O importante era manter no cargo quem nele havia votado e continuaria votando. Uma postura inaceitável a um presidente de Comitê Olímpico.

Outras Confederações.

(Paulo) Wanderley Teixeira fez o mesmo em várias outras Confederações. Em algumas teve êxito. Em outras não. Na Confederação Brasileira de Levantamento de Peso, por exemplo, o presidente do COB queria achar um nome de oposição para tirar do cargo o presidente Enrique Montero. Conversou com clubes e com pessoas, ofereceu apoio. Mas ninguém aceitou a empreitada. Este foi mais um caso em que (Paulo) Wanderley Teixeira deu com os burros n’água.

É este o cara que Você quer tomando conta da chave do COB?

Categorias olimpismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close