Mensagens de Paulo Wanderley Sugerem Interferência na Eleição ao Conselho de Ética do Comitê Olímpico do Brasil.

Circulou hoje em vários grupos de esporte as mensagens acima, enviadas por whatsapp pelo Paulo Wanderley à Yane Marques, presidente da Comissão de Atletas. do Comitê Olímpico do Brasil (CACOB).

O que Aconteceu?

Na semana passada houve eleições para o Conselho de Ética do COB. Haviam me contado que o Paulo Wanderley estava trabalhando contra mim, embora publicamente ele sempre afirmasse que não interferiria na eleição. Acima estão as provas de sua interferência direta da eleição. Paulo Wanderley, inadvertidamente, sugeriu para a atleta Yane Marques que a CACOB não votasse em mim. Mais, quis saber se a CACOB votaria em bloco e, também, se votariam nos candidatos Bernardino Santi ou Sami Arap (ambos bons candidatos à reeleição). Note que na mensagem, Paulo Wanderley também sugere à Yane Marques que, se quiser, lhe responda por telefone. Ou seja, para não deixar rastro.

Por que Paulo Wanderley se deu mal?

Paulo Wanderley pensou que estivesse escrevendo para a Yane Marques no seu contato privado. Por engano, colocou suas mensagens no grupo da CACOB. Quando percebeu a bobagem quem fez, pateticamente, Paulo Wanderley escreveu que “não queria saber de nada” e apagou as mensagens. Tarde demais: As mensagens do Paulo Wanderley foram “printadas” e começaram circular. Note que na mensagem, Paulo Wanderley também sugere à Yane Marques que, se quiser, lhe responda por telefone.

Por que Paulo Wanderley trabalhou com afinco contra mim e Bernardino Santi?

Porque eu, quando presidente daquele Conselho de Ética, tomei ciência de indícios de irregularidades que envolviam a presidência do COB e pagamentos feitos ao setor de informática. Quanto ao Dr. Bernardino Santi, enquanto presidente do Comitê de Integridade do COB, com mais dois auditores integrantes daquele Comitê, apresentaram ao Conselho de Administração do COB um detalhado relatório sugerindo alterações na forma de contratação de serviços médicos, para dar transparência ao sistema. Ambos os casos são públicos, não vou repeti-los aqui e, quem desejar, pode fazer uma pesquisa na internet. Por óbvio, Paulo Wanderley não queria no Conselho de Ética duas pessoas que em algum momento quiseram investigar, dentro da legalidade, seguindo o devido processo legal, questões relevantes.

Paulo Wanderley cometeu infração ética?

Em minha opinião, sim. Estatutariamente, o Conselho de Ética é um órgão independente e esse princípio legal, moral e ético tem que ser respeitado. Acima está a prova inequívoca de que Paulo Wanderley interferiu, ou tentou interferir na eleição desse Conselho. E, igualmente, mentiu quando, publicamente, afirmava que não interferiria. Paulo Wanderley, utilizando-se de seus poderes de presidentes, ao escrever para Yane Marques, exerce uma atitude inadequada, com o objetivo de doutrinar o seu voto, que pode ser considerada uma forma de assédio, tipificado no ordenamento jurídico cível e criminal. O COB se abastece de dinheiro público. O Paulo Wanderley tem que explicar qual é o interesse dele na composição do Conselho de Ética. O que Wanderley fez com Yane Marques é um forma de assédio, do mais forte versus a mais fraca.

Isso vai dar em alguma coisa?

Evidentemente que não vai dar em nada. Os interesses em jogo são muito maiores e, como sempre, vão preferir chutar tudo isso para debaixo do tapete e seguir o jogo. O Brasil é assim. Para colocar Nuzman para fora do COI, COB e, mais que isso, atrás das grades, eu e outros bravos trabalhamos incessantemente por dez anos. E os assuntos envolvidos foram muito mais graves.

E o futuro do Paulo Wanderley?

Paulo Wanderley esperou passar os Jogos Olímpicos de Tokyo para chutar as últimas pessoas que, em sua diretoria, poderiam não lhe serem submissas. O COB virou um projeto de poder pessoal. Na eleição passada, Paulo Wanderley perdeu feio entre as Confederações, insatisfeitas com seu trabalho. Quem verdadeiramente salvou sua reeleição foi a Comissão de Atletas, essa que Paulo Wanderley tentou influenciar agora. Paulo Wanderley quer tentar um terceiro mandato. É ilegal. E mesmo que consiga na Justiça uma liminar que o permita concorrer, será uma atitude egoísta, que contraria todas as mais comezinhas regras de conformidade. Meu palpite é que Paulo Wanderley enfrentará firme oposição na eleição de 2.024 e seu futuro será balançar na rede e assistir aos Jogos de Los Angeles 2.028 confortavelmente deitado nela.

E eu, Alberto Murray, como fico?

Fico igualzinho ao que já era. Atuo no esporte porque gosto e não para servir-me como fonte de renda. Ter ou não ter cargo em algum lugar não muda em nada a minha vida. Tenho profissão de advogado militante, sou bem sucedido, possuo minha própria fonte de renda, não preciso (e nunca aceitaria) de salário do COB, ou de quem quer que seja. Tenho minha luz própria Queria agora me desintoxicar dessa gente, manter-me longe, afastado desse ecossistema horroroso que virou o esporte. Mas, hoje, essas mensagens de whatsapp enviadas pelo presidente do COB para a Yane Marques circularam com tal veemência em tantos grupos e foram inúmeras mensagens que recebi, que resolvi escrever isso. Fora isso, quero que se lixem.

Categorias olimpismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close