80 Anos do Pacaembu. Por Laurete Godoy.

Laurete Godoy

ANIVERSÁRIO DO PACAEMBU

Dia 27 de abril de 2020 assinala mais um aniversário do estádio construído em São Paulo, no Vale do Pacaembu.

Em 1940, data da inauguração, com capacidade para 70 mil espectadores, ele era considerado o mais moderno da América do Sul. A festa inaugural foi um acontecimento internacional e um público recorde teve oportunidade de assistir à majestosa solenidade de abertura da edificação que concedeu grande impulso à educação física paulista, e se transformou em palco de emocionantes espetáculos cívicos e esportivos.

Dez anos mais tarde, o mês de setembro era esperado com ansiedade pelos alunos esportistas dos colégios públicos do estado de São Paulo. No Estádio do Pacaembu era realizada uma espécie de Olimpíada Estadual, com desfile de abertura, competições, premiação, demonstrações de ginástica e festa de encerramento. Não lembro se havia eliminatórias regionais, mas sei que, na Semana da Pátria, várias delegações eram alojadas ali, para disputas esportivas.

Em 1953 eu integrei a equipe de atletismo do Colégio Canadá de Santos e tive a alegria de vivenciar inesquecível experiência, durante uma semana inteirinha. A alegria era uma constante. Ao fundo do campo de futebol havia a concha acústica e, perto dela, uma enorme estátua de mármore branco, réplica do David de Michelangelo, cujas partes pudendas à mostra, eram uma festa para os recatados olhos femininos das adolescentes. E algumas delegações saudavam, diariamente, o ilustre personagem com o famoso pique-pique, que sempre começava pelo clássico: “E pro David pelado nada”. Tudo! E assim acontecia sempre, em meio à algazarra estudantil.

Eram famosas as disputas entre estabelecimentos conceituados como o Caetano de Campos e Presidente Roosevelt, da Capital, o Culto à Ciência de Campinas, Sud Mennucci de Piracicaba, Canadá de Santos, Martim Afonso de São Vicente e vários outros cujos nomes não recordo. As torcidas eram incríveis! Jamais esqueci uma, do colégio de Salto, que era muito estranha, sem pé nem cabeça: “Caxara de fórfe, unha de formiga, cáscara de árve, carcanhá de bode, Sarto, Sarto, Sarto.” E assim ia acontecendo, em meio à alegria sadia proporcionada pelo esporte daquela época.
Se essas são as minhas lembranças do Pacaembu, a amiga Loyde Del Nero possui outras. Estudante do curso ginasial do Colégio Presbiteriano Mackenzie por várias vezes, após as aulas, ela ia até o estádio, a pé, apenas para espiar pelas frestas do madeirame, e verificar como estavam caminhando as obras. Lembra que era o professor Naim quem ministrava as aulas de educação física do colégio, porém, para o desfile de inauguração do Pacaembu, o Mackenzie foi treinado pelo capitão Sylvio de Magalhães Padilha, atleta que ficou famoso, por ter participado com brilhantismo da Olimpíada de Berlim.

No dia 27 de abril de 1940, os alunos reuniram-se no colégio às 12 horas e, de lá, seguiram caminhando para o Pacaembu. Uniforme de gala, todos impecáveis, desfilaram garbosos e, efetuada a volta na pista, foram posicionados no centro do campo. O protocolo foi tão extenso, que a Loyde sem comer nem beber desde o meio dia, enfraquecida, primeiro sentou-se e, a seguir, deitou no campo e acha que desmaiou. Foi retirada de padiola, recebeu atendimento médico, melhorou e, depois de algum tempo, retornou ao lugar. Após a cerimônia, pediram ao Colégio Mackenzie para efetuar outra volta no campo. Algum tempo depois, o colégio recebeu uma bonita taça, por ter sido considerado o vencedor do desfile de inauguração do estádio do Pacaembu.

Posteriormente, a Loyde soube que foi ela quem inaugurou a padiola do Pacaembu e, graças a isso, ganhou um apelido que detestou e que a acompanhou até o final do curso: “Padiolinha”.

Em 1961, para homenagear o Marechal da Vitória, chefe da delegação brasileira que venceu a Copa do Mundo de 1958, o Pacaembu passou a ser chamado Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho.

No dia 27 de abril de 2020, ao completar 80 anos, o tradicional Estádio Municipal do Pacaembu comemora BODAS DE CARVALHO com o esporte paulista e brasileiro.

Parabéns aos paulistanos, por esse grandioso marco esportivo da cidade mais populosa da América…

screenshot_20200427-191441_photos

Na Fotografia, o Prefeito Prestes Maia e o Capitão Sylvio de Magalhães Padilha, Diretor do Departamento de Educação Física e Esportes do Estado de São Paulo, vistoriam o Estádio do Pacaembu, poucos dias antes de sua inauguração.

Laurete Godoy é panathleta, pesquisadora e escritora.

Categorias olimpismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close