Home

Aos Trancos e Barrancos.

julho 12, 2014

Aos trancos e barrancos a Copa do Mundo vai chegando ao seu final. Muito do caos que se previa não aconteceu. Esperava-se tanta coisa saindo errado, que se acabou por relevar, no conjunto da obra, aquilo que deu errado. Sempre escrevo que o Brasil é o país da imprevidência, que deixa para resolver tudo em cima da hora, contando que com a ajuda de Deus tudo vai dar certo. Aqui não é costume planejar nada. E essa Copa do Mundo foi assim, com ponta pés no traseiro, saiu aos trancos e barrancos.

Também já escrevi anteriormente que finda a Copa do Mundo, viria a depressão, qualquer que fosse o resultado. É agora que, passada a emoção dos jogos, vamos mergulhar na análise de quanto esse certame esportivo efetivamente custou aos cofres públicos. Chegou o momento de enfrentar os elefantes brancos que nos legaram. Serão enumeradas as tais obras de mobilidade urbana (essa expressão já virou clichê e ridícula) tão alardeadas e nunca sequer iniciadas. Os políticos dirão que os críticos da organização da Copa erraram em suas previsões e tentarão obter dividendos. Esses políticos estarão, como sempre, mentindo, pois ocultarão que terão gasto cerca de R$ 20 bilhões em campos de futebol, em um país muito carente. Esses mesmos políticos esconderão o fato de que a mais bem sucedida Copa do Mundo de futebol de todos os tempos em público e renda foi a de 1.994, nos Estados Unidos, que para fazê-la, de forma extremamente organizada, não construiu um único estádio novo.

A turma da olimpíada, aqueles de sempre, de tantos e tantos anos, que também se fartam com dinheiro público, dirão, tenham certeza, que o sucesso da Copa servirá como exemplo para os Jogos Olímpicos. Outra mentira, pois esconderão que os Jogos Olímpicos serão feitos também aos trancos e barrancos, superfaturado, com elefantes brancos e que as tais obras de melhoria do Rio não serão entregues, a começar pela decantada despoluição da Baía da Guanabara. Os cartolas olímpicos e os políticos esconderão do povo carioca e brasileiro que para fazer uma festa esportiva de quinze dias gastarão o equivalente ao orçamento anual da cidade de São Paulo. E que com esse dinheiro público todo poderiam resolver muitas das mazelas sociais da cidade.

O Brasil imprevidente vai assim, aos trancos e barrancos, na base do famigerado jeitinho, gastando os tubos e vendo muita gente enriquecendo ilicitamente.

A única coisa que também foi aos trancos e barrancos, mas que em dado momento encontrou no seu caminho um adversário sério que, em vez de dar jeitinhos, planeja, foi a seleção nacional de futebol, cuja surra que levou será indelével.

No mais, as patotas da Copa, Olímpica e os políticos acham que está tudo bem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: