Home

Hockey In Line, Um Esporte Praticado Sobre Rodas, Vinculado À Confederação Brasileira De Desportos No Gelo.

novembro 9, 2011

Alberto,
Navegando pela internet encontrei em seu blog a carta do Sr Edson Luques Bindilatti em que ele retrata as conseqüências da administração da CBDG sobre os Desportes de Inverno e percebi que hoje faço parte de uma comunidade com exatamente o mesmo problema.
Sou parte da comunidade de atletas de hockey in-line, que apesar de ser um esporte praticado sobre rodas, também é regulado pela Federação Internacional de Hockey no Gelo, organização à qual a CBDG recebeu a forçadamente a filiação em meados de 2010. E a história neste caso tem um agravante: uma Seleção Brasileira campeã mundial em 2007 foi impedida de continuar a representar o país devido a não haver planos para isto.
Pelo que lembro, a Seleção Brasileira de Hockey In-Line tem ao menos 4 medalhas na Divisão I do Campeonato Mundial da IIHF: duas de bronze (2008 e 2009), uma de prata e o ouro de 2007. E, assim como nossos colegas do gelo, a mantemos a modalidade no Brasil somente pelo prazer em jogar, não ganhamos dinheiro e a única coisa com a qual sonhávamos e pela qual batalhávamos a cada treino, jogo e campeonato era com uma convocação para a seleção e uma participação no Campeonato Mundial.
Pouco antes do início do Mundial de 2010 nossos companheiros da Seleção foram avisados de que não mais poderiam competir porque a Confederação Brasileira de Hockey no Gelo (CBHG, entidade que organizava o hockey no Brasil) havia perdido a filiação à IIHF para a CBDG. Houve uma negociação e os atletas contaram com a boa vontade da CBDG que os deixou disputar o campeonato em questão, porém devido a confusão e o abalo emocional que isto provocou, a Seleção acabou tendo maus resultados no campeonato de 2010 e foi relegada. Isto é, deveria disputar uma qualificatória em 2011 para jogar o mundial de 2012. Com um ano de trabalho ninguém tem dúvidas de que a seleção se classificaria sem maiores dificuldades para o mundial de 2012.
Mas, o direito de disputar a classificação em 2011 foi negado, a CBDG não tinha planos para organizar uma seleção de In-Line, planos ou interesse de delegar a organização da modalidade para algum clube, liga ou federação estadual que o pudesse fazer mas o pior ainda viria por volta de meio deste ano.
Devido ao maremoto (tsunami) que atingiu o Japão, a seleção japonesa não avisou que não poderia disputar o Mundial 2010, então a IIHF decidiu convidar de melhor histórico dentre aquelas que deveriam disputar a classificação em 2011, a nossa seleção, a brasileira. E a resposta para a IIHF foi clara: não havia interesse em disputar o mundial in-line de 2011.
Quem não tinha interesse? Nos perguntamos até hoje, pois nós temos todo interesse do mundo em ver nossos colegas no mundial, e em entrar em quadra sabendo que o suor na nossa proteção pode render uma convocação para jogar com o blusão amarelo da seleção.
Jogamos a toalha? Não, seguindo o exemplo dos Estados Unidos em que a USA Hockey (federeção estadunidense de hockey no gelo) cedeu a organização do hockey in-line para a USA Roller Sports (federação estadunidense de esportes sobre patins), entramos em contato com a CBDG e, dado que esta não tinha interesse em organizar um esporte fora do gelo, sugerimos que o mesmo fosse feito no Brasil, uma vez que existe a CBHP (Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação), a resposta de um senhor chamado Miguel Perez foi de que o pedido fora encaminhado pra o presidente, a resposta da sra Lisa Papandrea era de que o pedido estava em análise, e o resultado disto tudo: o total silêncio e nenhuma atitude.
Há, e haverá sempre, no Brasil jogadores de hockey in-line bem motivados, bem treinados e capazes de levar nossa bandeira ao lugar em que ele deve sempre estar: no topo. E queremos voltar a levá-la até lá o mais rápido possível.
Saudações
Salvador Neto

Anúncios

36 Responses to “Hockey In Line, Um Esporte Praticado Sobre Rodas, Vinculado À Confederação Brasileira De Desportos No Gelo.”

  1. Alonso de Toledo Says:

    História emocionante, mas mal contada. O Hockey in line no brasil agora está afeito à CBHP e, caso queira, deverá disputar o(s) mundial(is) organizados pela FIRS – Federation International de Roller Sports.

    Curtir


    • O hockey in-line do brasil jogou o mundial FIRS deste ano somenta na categoria de juniores, e só o fez porque nao podia disputar o mundia IIHF com a selecao principal.
      Tanto a FIRS (federacao internacional de esportes sobre patins) quanto IIHF organizam campeonatos de in-line, porém o evento que é mais respeitado é o da IIHF (que ocorre na primeira quinzena de junho), devido as regras serem um pouco mais rigidas e a visibilidade q o evento tem no centro e leste da europa.
      Se você tiver interesse em conversar sobre o assunto, terei prazer em antendê-lo: salvadorferreiraneto@hotmail.com

      Curtir

      • CBDG Says:

        Salvador, voce esta muito enganado!

        Mas tudo bem, ja conhecemos a sua agenda.

        Existem jogadores de hoquei que sao pessoas do bem e que ja nos informaram o que aconteceu realmente la na Suecia em 2010.

        O absurdo e a verdade e que os atletas da equipe foram obrigados pela Comissao Tecnica da CBHG (Campinas) a perder os jogos para o Japao e a Croacia.

        Fique tranquilo que isso sera muito bem esclarecido la no Ministerio ja que os recursos utilizados pela CBHG (com sede em Campinas) sao recursos publicos (Convenio).

        E uma vergonha esses atletas e tecnicos que entraram em campo para perder de proposito. Se fosse a CBDG la na Suecia, isso jamais teria acontecido.

        Esses atletas nao merecem vestir a camisa amarela do Brasil.

        Esse e um dos motivos pela qual nao registramos a equipe no Campeonato Mundial de 2011 na Republica Checa.

        A CBDG (Gelo) esta de portas abertas para ajudar e apoiar os atletas do bem que amam o Hoquei. Agora os atletas e tecnicos que entraram para perder na Suecia, estes a CBDG nao quer nenhum tipo de relacionamento.

        Atenciosamente,

        CBDG

        Curtir

      • CBDG Says:

        Pilantra é quem perde de proposito! Nao foi a CBDG que entregou os jogos contra a Croacia e o Japao.

        Pilantra é quem pega com o Ministerio dos Esportes uma quantia de R$ 200 mil reais (dinheiro publico) para viajar para a Suecia e obriga os jogadores a perderem de proposito.

        Quer chamar alguem de pilantra? Ligue para a CBHG em Campinas, SP. Voce vai achá-los por lá.

        Colega, aqui na CBDG a gente nao entra em campo para perder de propósito. Nos honramos o nosso país e a nossa camisa!

        Nao tenha duvida que a CBDG nao registrara ninguem no Mundial Inline enquanto tudo isso nao for muito bem esclarecido la no Ministerio do Esporte.

        Atenciosamente,

        CBDG

        Curtir

      • Carlos Ribeiro Says:

        Que CBDG é esta que está respondendo aqui ?
        É a diretoria que foi afastada pela Justiça?

        Curtir


      • Voces me conhecem, que ótimo!
        Se o conhecem é porque eu uso meu nome de verdade para me manifestar, coisa que não é recíproca.
        Pois bem, eu não estava na Suécia, nunca fiz parte da delegação, e jogo hockey inline por um time paulista.
        Se a Seleção entregou jogo, que fique claro que concordo convosco, isto não é uma atitude digna.
        Se houve um absurdo como este, apoio junto convosco qualquer ação judicial, processo ou semelhante que vise esclarecer o ocorrido.
        Mas a CBDG tinha outros caminhos a seguir, poderia ter delegado a organizacao da selecao de inline a uma federacao estadual ou podia ter convocado atletas diferentes dos que estavam na Suécia.
        Mas optou pelo pior caminho, a injustiça.
        Em nome de uma suposta punição à delegaçao de 2010, simplesmente retirou a seleção do mundial 2011. Isto meu caro, é entrar para perder.
        Há mais de 500 atletas que poderiam estar recolhendo taxas à CBDG, que poderiam estar propagando os nobres ideia que vossa mercê alegadamente tanto preza. Mas o que ocorreu de fato? 500 atletas bem treinados sem chance de fazer seu esforço valer a pena.
        Se realmente há contato da CBDG com os atletas do Hockey brasileiro, então sabem que a CBHG era, quando muito, tida por nós como um mal necessário e que nem eu, nem ninguém a postar nesse blog está pedindo que o inline retorne à CBDG.
        O que queremos é o óbvio, saber que há uma seleção brasileira disputando campeonatos de alto nível para termos algum objetivo a alcançar. Se a organização da modalidade vier pela CBDG, ótimo, se vier por outra entidade, igualmente. O que há no texto que vos enviei num email em 10 de junho de 2011, e que repito aqui é: se a CBDG não quer organizar o In-Line, que delegue esta função a quem achar que deva.
        E é este o tema do texto publicado aqui neste blog.
        Se há informação de que houve erros da delegação de 2010, que se mova ação judicial, que se punam os responsáveis, não exitarei, nem outro atleta o fará, em apoiá-los.
        Novidades no hockey no gelo? Aguardo anciosamente, mas que sejam novidades efetivas, com atletas jogando.
        Em outro email que vos enviei, e este deve ser o motivo pelo qual vossa mercê “conhece minha agenda”. Pedi orientacoes para jogar o Sulamericano de Gelo em Ushuaia de 2012, fomos autorizados, e saiba que sou grato por isto.
        Mas há outros que foram ignorados, pedi uma declaração da CBDG atestando que nao havia fabricante de equipamentos de protecao no Brasil, pedi um atestado de que o piso oficial do inline é um chamado de Exxess? E saibam, não era para conseguir convênio com ministério, não era para levar vossos desafetos onde a CBDG acha inadequado. Já que a CBDG nao recebe verba ministerial, e já escreveu projetos para a Lei de Incentivo ao Esporte, sabe que qualquer patrocinador ou investidor hoje em dia não negocia sem um projeto aprovado e um projeto bem estruturado, e eram estas as razões pelas quais pedi estas declarações, tendo inclusive deixado claro que pagaria por estas declaraões.
        Em outro email (do dia 13 de junho de 2011), dei algumas sugestoes de como alavancar o hockey no gelo no Brasil, e espero que possam usá-las.
        A vontade de jogar o Sul-Americano de Ushuaia em junho permanece, e não esta é uma boa chance de conhecerem melhor à minha agenda, bem como a dos muitos outros atletas de bem desta modalidade.

        Curtir


      • corrigindo: “… que o inline retorne à CBHG”

        Curtir


    • Um detalhe que esqueci de mencionar, a CBHP tem a filiação a FIRS, não tem a filiação a IIHF. Não nos interessa qual a confederacao estiver acima de nós, queremos colocar a seleção de volta no mundial porque entrar em quadra sem valer nada é chato pra caramba.

      Curtir

  2. Mai Says:

    Jogar a FIRS eh falta de opção! Isso só aconteceu porque a CBDG proibiu a selecao de jogar na IHF!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

    • CBDG Says:

      Existem jogadores de hoquei que sao pessoas do bem e que ja nos informaram o que aconteceu realmente la na Suecia em 2010.

      O absurdo e a verdade e que os atletas da equipe foram obrigados pela Comissao Tecnica da CBHG (Campinas) a perder os jogos para o Japao e a Croacia.

      Fique tranquilo que isso sera muito bem esclarecido la no Ministerio ja que os recursos utilizados pela CBHG (com sede em Campinas) sao recursos publicos (Convenio).

      E uma vergonha esses atletas e tecnicos que entraram em campo para perder de proposito. Se fosse a CBDG la na Suecia, isso jamais teria acontecido.

      Esses atletas nao merecem vestir a camisa amarela do Brasil.

      Esse e um dos motivos pela qual nao registramos a equipe no Campeonato Mundial de 2011 na Republica Checa.

      A CBDG (Gelo) esta de portas abertas para ajudar e apoiar os atletas do bem que amam o Hoquei. Agora os atletas e tecnicos que entraram para perder na Suecia, estes a CBDG nao quer nenhum tipo de relacionamento.

      Atenciosamente,

      CBDG

      Curtir

  3. Marcos Shishido #27 Says:

    “jogar IIHF é muito mais interessante que jogar a FIRS, só jogamos FIRS por falta de opcão”

    Vamos sempre lutar pelo esporte que amamos e
    espero que o hockey nacional volte a ser o que era antes, não era o ideal, mas era bem melhor do que está hoje. Como pode o Brasil não ter ido no lugar do japão, é um absurdo a pergunta se querem ir pro mundial não chegar aos ouvidos de quem realmente está interessado.

    Curtir

  4. Isaque Says:

    Jogar a FIRS? Pura falta de opção. A IIHF é muito mais respeitada

    Curtir


  5. A vontade de se jogar é de fácil reconhecimento, coisa que não é refletida e transmitida por algumas federações, confederações e etc.
    jogar a FIRS é válido para as categorias de base, mas o sonho do jogador de hockey é a IIHF.

    Curtir

  6. João Gabriel Says:

    Quem joga In-Line sonha com o gelo, por isso é melhor a IIHF

    Curtir

  7. Alonso de Toledo Says:

    Sejamos pragmáticos. Para disputar o mundial da IIHF, só se for através da CBDG, e não dá para esperar nada do Maleson/CBDG. Desde que saímos da IIHF, a CBHG (ou Confederação Brasileira de Hockey no Gelo – In Line) está alinhada com a CBHP, e é com ela que teremos de nos organizar. Este ano já participamos do Pré-Panamericano em Mendoza/Argentina, organizado pela Federação Argentina de Patinação, também alinhada à FIRS, e não pela AHHIL, que é alinhada à IIHF.
    Não vou dizer que o mundial in line da IIHF é melhor ou pior que o da FIRS, mas posso lhe dizer que por muito tempo o Canadá só jogou FIRS. EUA, Alemanha, Suécia, Japão, Inglaterra, França e muitos outros jogam FIRS também. O Brasil não jogou o FIRS adulto este ano porque ninguém tomou a iniciativa de nos inscrever no prazo, pois a porta estava aberta.
    Finalmente, antes da gestão do esporte estar unificada em Campinas, ou seja, antes da CBHG, disputamos diversos mundiais da FIRS, adultos e junior, inclusive tivemos um 2º lugar no Mundial Junior de 2001 jogado em Miami e um 4º lugar no Mundial Junior de 2003, jogado em Detroit (salvo falhas de memória).

    Curtir

    • Alonso de Toledo Says:

      Um detalhe que esqueci de mencionar: a IIHF nunca conseguiu promover um campeonato de hockey in line na categoria junior ou na feminina. A FIRS faz isso.

      Curtir

    • CBDG Says:

      Alonso,

      Certamente nao espere que CBDG ou que seu Presidente (Sr. Eric Leme W. Maleson) envie uma equipe para o Mundial da IIHF para perder de proposito.

      Foi exatamente isso que aconteceu la na Suecia em 2010. Uma vergonha!

      Enquanto a CBDG estiver afiliada na IIHF essa vergonha jamais se repetira.

      Pode ficar tranquilo que em breve a CBDG estara anunciando otimas noticias em relacao ao Hoquei no Gelo.

      Atenciosamente,

      CBDG

      Curtir


  8. Um suposto pré-pan que não valia vaga para o Pan, isso que a seleção disputou ano passado.
    Por não poder esperar nada da CBDG que escrevi, para ver se alguém surgia com alguma orientação acerca do que deve ser feito.
    A FIRS é mais abrangente que a IIHF, isto é fato, mas os atletas que conheço preferem jogar sob as regras da IIHF. Uma opinião pessoa é que a inexistência do impedimento e do icing tornam o in-line FIRS menos interessante.
    Já há movimentação da CBHP para levar a seleção de juniores e adulto em 2012, só falta a FIRS confirmar onde será o campeonato para o pessoal fechar com os patrocinadores.
    Sendo idealista, creio que seja interessante jogar as duas modalidades pois a FIRS tem abrangência, e a IIHF tem o interesse dos atletas (pelo manos da maioria dos que conheço).

    Curtir

  9. LIS DELGADO Says:

    É uma pena a IIHF nao organizar um campeonato feminino, seria interessante jogar as duas federações

    Curtir

  10. thiago fernandes Says:

    “Jogar a FIRS não foi escolha, foi falta dela”
    transferiram o hockey inline pra uma confederacao pilantra q nos proibiu de jogar o mundial.

    Curtir

    • CBDG Says:

      Thiago,

      Pilantra é quem perde de proposito! Nao foi a CBDG que entregou os jogos contra a Croacia e o Japao.

      Pilantra é quem pega com o Ministerio dos Esportes uma quantia de R$ 200 mil reais (dinheiro publico) para viajar para a Suecia e obriga os jogadores a perderem de proposito.

      Quer chamar alguem de pilantra? Ligue para a CBHG em Campinas, SP. Voce vai achá-los por lá.

      Colega, aqui na CBDG a gente nao entra em campo para perder de propósito. Nos honramos o nosso país e a nossa camisa!

      Nao tenha duvida que a CBDG nao registrara ninguem no Mundial Inline enquanto tudo isso nao for muito bem esclarecido la no Ministerio do Esporte.

      Atenciosamente,

      CBDG

      Curtir


      • Prezado(s) da CBDG,
        Há alguma previsão de quando esse processo se encerrará?
        Sob que alegações vossas mercês acionaram a CBHG, ou a delegação da seleção na justiça?
        Já acionaram? EM caso negativo, conte com a minha ajuda para fazê-lo, pois quanto mais rápido essa briga terminar, melhor para nós.
        Em nome de brigas de dirigentes, e um suposto erro de 18 atletas, vossas mercês punem mais de 500 atletas, isso não parece justo.
        Se realmente houve erro da seleção, que se convocasse outra delegação, pois treinadores, atletas e auxiliares não seriam difíceis de encontrar.
        Enfim, em nome dos mais de 500 atletas que não estavam na Suécia, e não tem como falar sobre o que aconteceu por lá: por favor, resolvam logo vossas divergências.

        Curtir

  11. Rafael Cerqueira Says:

    Não finais da História, nao fomos Nem à FIRS Nem à IIHF E deveríamos IR como Duas

    Curtir

  12. Bolinha Says:

    Estou com você Salvador! Tive a oportunidade de ir para dois mundiais da IIHF (2008 e 2010) e não tem preço. Na verdade, existe preço sim e ele é composto por dedicação, entrega, renuncias, dor, cansaço e muitas vezes lágrimas.
    Fazer parte da Seleção Brasileira para mim significava treinar todo fim de semana, deixar família de lado, deixar namorado, amigos, festas, tudo isso por um único motivo: saber que depois de um ano de treinos (de 5 a 4 vezes por semana)iríamos representar nosso país, iríamos ter a chance ainda que fosse por apenas duas semanas de sermos reconhecidos como a Seleção Brasileira de Hockey, um reconhecimento inimaginável no nosso país.
    No Brasil 90% das quadras de hockey são adaptadas, ou seja, não possuem medidas nem a estrutura própria para o esporte. Lá fora o Brasil batia países como Japão, Austrália, Hungria, Bulgária, Croácia entre outros, todos países, na sua maioria com uma estrutura infinitamente melhor que a nossa. Mas a verdade é que ninguém reclamava de tudo isso, toda essa diferença pouco importava, sempre ouvi dos jogadores mais antigos que ouvir nosso hino tocar após uma vitória não tinha preço, e no primeiro mundial q eu fui, após a primeira vitória quando tocou o hino brasileiro só tive uma reação.. chorar
    Ali entendi que toda diferença de estrutura, todo o sacrifício e tudo que deixamos para trás valia a pena, poder representar o seu país em uma terra estrangeira significa você representar um povo, e o orgulho que isso dá, ainda mais praticando o esporte que você ama é algo inimaginável.
    Em 2010, quando soube que seria o nosso último ano na IIHF fiquei triste, mas a grande verdade é que não senti muito isso por minha causa, graças a Deus tive a oportunidade de participar de dois mundiais e saber o que era essa experiência, minha tristeza foi em saber da injustiça que isso seria com as novas gerações, saber que tantos garotos que sonhavam (como eu sonhei um dia) em participar de um mundial IIHF não teriam essa chance.
    Nunca participei de um mundial da FIRS, não quero comparar, posso falar do que eu vivi. Ver jogadores da NHL na mesma quadra que você joga, ser tratado e reconhecido como um atleta profissional pelo menos uma vez na vida é algo que desde a primeira vez q fui acho q todo jogador de hockey tem o direito de viver.
    Não quero falar bem ou mal de um outro dirigente, na verdade eles são um mal necessário no esporte, ao atleta cabe treinar e aos dirigentes preparar toda a estrutura para que o esportista tenha condições de desempenhar o seu melhor. Aqui o que vemos no esporte é um reflexo do que acontece em nossa sociedade, as coisas, pessoas, sonhos e instituições são apenas meios, ou melhor plataformas, para alguns poucos atingirem seus objetivos particulares.
    Acredito que o Brasil deva ter duas seleções sim uma da FIRS e uma da IIHF, como o Alonso (que é alguém que luta pelo hockey no nosso país e eu respeito muito) falou países como EUA, Canadá, Alemanha e outros tem seleções na FIRS, mas também possuem seleções (muito fortes e tradicionais) na IIHF. O Brasil deve ter duas seleções sim, deve ter seleções de base, deve ter seleção feminina, deve ter mais quadras, mais times, mais jogadores em diferentes estados e regiões. Os atletas devem ter um sonho maior e a seleção para muitos é o ápice, mesmo havendo controvérsias sobre quem merece ir ou não, ir para um mundial durante muito tempo foi o objetivo de muitos.
    Duas seleções levariam mais jogadores para o exterior, elevaria o nível do nosso hockey e talvez engrenassem o hockey no nosso país. Abraço a todos, parabéns pela iniciativa Salva!

    Curtir

  13. Décio Says:

    Ótimo texto bolinha e salvador, ajudamos a colocar o Brasil em déciomo no hanking e disputar um campeonato por falta de opção é muito pouco para todos nós, acho sim que temos que disputar tudo, pois aumentar o nivel nacional é ter um selecionado de alto nivel. temos que dar continuidade ao movimento iniciado pelos atletas do bobsled que conseguiram uma intervenção judicial junto a CBDG e logo estaram estruturando a modalidade .Esse Maleson que nem conhece o potencial de nossa modalidade não pode coloca-la no “bolso” como fez e acabar com tudo que construimos.
    Pessoal não desistam pois quem colocou a modalidade onde ela esta hoje fomos nós e eu não digo apenas em nivel internacional, temos hoje uma modalidade estruturada com mais de 500 atletas confederados e atuantes.Vamos dar nossa contrubuição nem que isso signifique apenas não ficar calado.

    Abraço a todos

    Atleta medalhista
    seleção brasileira
    de hockey in line

    Curtir


  14. Já participei dois dois campeonatos, um mundial em 1998 na Áutria, em Zell am See pela FIRS e outra seletiva de mundial em 1999 em Buenos Aires pela IIHF, acredito que as duas entidades possuem pontos positivos e negativos, porém antes de avaliar ESSAS entidades temos que organizar o NOSSO inline hockey, desde a criação da Lei Pelé é permitido a fundação e criação de ligas esportivas, que podem ou não ser vinculadas a federações.
    Penso que depois destas discussões todas devemos iniciar a organização do Inline Hockey brasileiro de forma Independente, disvinculada de federações, pelo menos para dentro do país, enquanto que para a título de mundial estariamos filiados por uma ou outra entidade.
    Precisamos dessa organização fora de quadra, que bem ou mal a CBHG nos proporcionava.

    Curtir

  15. Carlos Ribeiro Says:

    Prezado Alberto

    NÃO SEI se existe relação de “causa e efeito” mas é , no mínimo curioso :

    Quem era o Presidente da CBHG – que gerenciava o hóquei inline com regras de gelo ? Arialdo Boscoli

    E quem é Arialdo Boscoli ? Também Presidente da CBC – Confederação Brasileira de Clubes.

    O que a CBC conseguiu ? No Senado, voltar a incluir o dispositivo que destina dinheiro direto para os clubes formadores de atletas, SEM passar pelo COB (MP 502 que altera a Lei Pelé, Bolsa-Atleta, e outros assuntos do Esporte) – e que no fim foi aprovada e sancionada.

    Coincidência ter havido uma manobra para colocar o hóquei-inline-com-regras-de-gelo dentro da CBDG, onde por provável puxa-saquismo, é fácil controlar.

    Ainda que a troca de vinculação tenha ocorrido antes, o lobby a favor dos clubes formadores (CBC) era combatido.

    Pelo que se sabe, na mídia, o ex-Ministro Orlando era mais próximo de Arialdo do que do Nuzman – na atuação política – principalmente na base eleitoral – Campinas, SP.

    De acordo com o D.O.U. , a CBDG (hoquei inline com regras de gelo) , foi uma das modalidades que mais recebeu recursos em “dinheiro-vivo”, devidamente aplicado no esporte … mas em um volume de fazer inveja a outras manifestações esportivas – até Olímpicas.

    Inegável o dinamismo da CBDG na promoção do esporte em relação à CBHP (hóquei de rodas) , que está em estado letárgico há quase 10 anos – com prestações de contas que só começaram a ser resolvidadas a partir de 2008/2009 (processos no TCU, é só usar a busca).

    Espero que o interventor da CBDG tome ciência da situação e monte a equipe para que o Brasil participe dos eventos internacionais – apesar de tudo – é a melhor alternativa.

    Carlos Ribeiro Tibúrcio

    Curtir

    • Carlos Ribeiro Says:

      Correção : “Inegável o dinamismo da ***CBHG*** na promoção do esporte em relação à CBHP (hóquei de rodas)”

      Curtir


    • Certamente esportes que recebem dinheiro independentemente do COB, que não borre botas para eles, desagrada o COB.

      Curtir

    • CBDG Says:

      Carlos,

      Voce esta nos confundindo com a CBHG com sede em Campinas.

      Todas as Prestacoes de Contas da CBDG estao aprovadas e a entidade nao tem nenhuma pendencia no TCU. Inclusive a CBDG possue todas as suas Certidoes Negativas em dia e nao deve nada ao Governo Federal, Estadual ou Municipal.

      A CBDG nunca assinou Convenio com o Ministerio do Esporte e nada recebeu desse Ministerio.

      A verba que a CBDG recebe é oriunda da Lei Piva, que o COB repassa para as entidades Olimpicas.

      Nossa documentacao esta toda em dia.

      A entidade que voce se refere que está com pendencia com o TCU é a Confederacao Brasileira de Hoquei no Gelo (CBHG) com sede em Campinas, SP. Esta entidade nunca foi filiada ou reconhecida pelo COB.

      Já a CBDG (Confederacao Brasileira de Desportos no Gelo) é filiada ao COB desde 1999, e tem sede no Rio de Janeiro, RJ (Copacabana). A CBDG também é filiada as Federações Internacionais de Bobsled (FIBT), Luge (FIL), Curling (WCF), Hoquei (IIHF) e Patinação no Gelo (ISU).

      Atenciosamente,

      CBDG

      Curtir

      • Carlos Ribeiro Says:

        Eu errei a sigla na sopa de letrinhas …. coloquei abaixo um comentário sobre isso .

        O correto que eu quis dizer foi :

        “De acordo com o D.O.U. , a CB*H*G (hoquei inline com regras de gelo) , foi uma das modalidades que mais recebeu recursos em “dinheiro-vivo”, devidamente aplicado no esporte … mas em um volume de fazer inveja a outras manifestações esportivas – até Olímpicas.”

        Curtir


  16. Não creio que proceda esta história de entrar para perder. Mas como um atleta que não era da seleção (nunca fui, aliás), posso falar em nome de todos os atletas que não estavam entre os 18 na Suécia.
    Se os atletas que foram à Suécia cometeram erros, é justo punir todos os outros mais de 500 que nada fizeram?
    Se realmente houve algo errado, que se convocassem outros atletas, pois temos de sobra.
    E o que foi feito? Nada, inclusive deixou-se a Argentina ir ao mundial no lugar do Brasil.
    Novamente, aos atletas não interessa se quem está sobre nós é a CBDG, CBHG, CBHP, ou quem quer que seja, o que queremos é ver a seleção brasileira competindo, e entrar em quadra em busca de um objetivo maior.
    Se a CBHG tem pendências com o tribunal de contas, que se puna a confederação, que se puna exemplarmente, mas daí a desestruturar uma modalidade estabelecida é outra história.
    Novidades no hockey no gelo? Aguardamos anciosamente, mas que não seja um grupo de mestrandos ou doutorandos a viver no exterior que nenhuma vivência com o hockey nacional têm.
    Sem querer, a CBDG recebeu a tutela de uma modalidade com mais de 500 atletas, e em nome de brigas pessoais entre dirigentes puniu 500 atletas. A CBDG não entra em quadra para perder? Verdade, ela nem entrou em quadra.
    Se há brigas entre a CBDG e indivíduos específicos, que resolvam isto nos tribunais, nós só queremos jogar.
    Novidades e breve? Torcemos por vocês, e saibam que não estamos contra vós nem a favor de seus desafetos, só queremos jogar.
    Acho que o Sul-américano de gelo em Ushuaia será a chance de nós encontrarmos e, quem sabe, iniciarmos um bom futuro.

    Curtir

    • Carlos Ribeiro Says:

      Pelo que entendi, esta diretoria que está afastada (liminarmente) e que está se manifestando nestes comentários, não pode praticar ato algum – correto Dr. Murray ?

      Então os atletas tem que acionar o INTERVENTOR para que ele notifique à IIHF o afastamento, mesmo que temporário, da diretoria e proceda COM A INSCRIÇÃO da Seleção Brasileira no certame.

      Curtir

  17. marcos Says:

    Caros voces estao perdendo tempo com os comentarios da CBDG, na verdade esse tal de Eric maleson nem pode dizer em nome da CBDG, pois o mesmo esta interditado pela justiça e digasse de passagem saiu tarde e espero que nunca volte…

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: