Home

O Absurdo, Do Absurdo, Do Absurdo, Do Absurdo !

maio 11, 2011

O Estado de São Paulo noticia que:

” RIO – O contrato assinado pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para sediar a Olimpíada de 2016 garante à entidade poder total sobre o evento. Cópia do documento obtida pelo Estado mostra que o acordo prevê até imunidade em ações judiciais, reembolso integral de impostos – até no exterior – e 20% dos lucros. “

Uma dos discursos prontos da patota olímpica para justificar a gastança desenfreada com os Jogos Olímpicos no Brasil é imagem soberana que que o País daria para o mundo, de um Brasil grande, já capaz de acolher o mundo sob o manto da realização de grandes eventos esportivos.

Pois então vejam na matéria do Estadão (trecho replicado acima) o desatino que balisa o contrato que o Prefeito do Rio de Janeiro, supostamente assina em nome de seu povo, com o Comitê Internacional Olímpico (“CIO”).

O Prefeito põe-se de joelhos à frente do CIO. E com ele, sem perguntar, arrasta o povo daquela Cidade. Isso me lembra a época em que o Lula bradava – com razão – que o Brasil era capacho do FMI. Tantas vezes eu não saí às ruas para esculhambar o FMI.

Agora os patrões são outros. o FMI saiu de moda. O bacana agora é CBF, FIFA, COB, CIO. Avalia-se o verdadeiro espírito olímpico exclusivamente pelas cifras dos contratos, talões de cheques, saldos em contas bancárias, licenciamentos de marcas, dinheiro público, muito dinheiro público. Isso é o que dá na água na boca de muita gente.

Haja cara de pau, de contratante e contratado, um para pedir imunidade total e o outro para concedê-la.

Que o povo do Rio de Janeiro saiba que, sem ser consultado, sua Cidade dobra-se, sem dó nem piedade, diante das exigências marotas dos organismos internacionais. Ou seja, Olimpíada risco zero para o CIO. Se algo der errado, o Rio paga a conta.

Depois essa gente diz que nós, quando criticamos é que não somos os patriotas.

Tenho batido em uma tecla: A cartolagem e os políticos que a apoiam não têm comprometimento algum com o Brasil. Suas preocupações maiores são com as entidades internacionais a que pertencem. Temem desagradá-las, para não serem postos no olho da rua.

Hoje lí uma frase do Millor que diz: “Patriota é quem gosta do seu país mais do que todos. Nacionalista é quem odeia todos os países e mais o seu próprio”.

Quero ver qual é o Cartolão que vai ter coragem de dizer que nós, críticos, não gostamos do Brasil.

Que os Parlamentos da Cidade e do Estado do Rio façam algo. Que o Congresso nacional também.

Anúncios

2 Responses to “O Absurdo, Do Absurdo, Do Absurdo, Do Absurdo !”

  1. Adilson Says:

    Alberto,

    Compreendo a sua indignação. Mas chegou a fora de pagar a conta.

    Nada do que está sendo cobrado foi omitido dos nossos parlamentos e, por extensão, do povo brasileiro. Se os políticos não leram os cadernos de encargo e os jornalistas não tiveram paciência para lê-los assim como os relatórios da Fifa ou do COI eu lamento. Estamos a pé no que toca à fiscalização do nosso dinheiro e a capacidade crítica de informar a sociedade sobre aquilo que ocorre com ela.

    – Em um momento em que o ufanismo se sobrepunha à razão,
    – Em um momento em que se alguém esboçasse alguma oposição ou rejeição à Copa ou aos Jogos Olímpicos era visto como um inimigo do Brasil, ou um ser extra planetário,
    – Em um momento em que a iniciativa privada iria arcar com a quase totalidade dos custos e que o contribuinte não seria chamado a pagar a conta, mas que na hora H simplesmente não apareceu. Ai daquele que dissesse que os empresários jamais viriam,
    – Em um momento em que o índice de popularidade do Presidente da República era o único condutor de todas as políticas e dos gastos,
    – Em um momento em que uma oposição fraca e sem personalidade se acovardou ao não debater seriamente os dois eventos com receio de perder ainda mais votos,
    – Em um momento em que a imprensa esportiva, despreparada e superficial como sempre, comportou-se como promotores de espetáculo ao invés de serem aquilo que se espera deles – jornalistas com senso crítico e acurada capacidade de análise,
    – Em um momento em que as nossas universidades se calaram, pois vislumbraram nos dois eventos, fontes de custeio e de renda para alguns docentes, e que se limitam a viver das migalhas do Ministério do Esporte e serem coniventes com uma política esportiva que ninguém sabe qual é,

    Não podia dar em outra coisa. Somente agora a sociedade se dá conta dos compromissos que ela mesma aplaudiu pelos motivos acima e os encargos que ela assumiu.

    Temos que dar graças a Deus que, em um quadro de incompetências e omissões não tenhamos caído em um regime totalitário.

    Quanto ao povo do Rio ele foi consultado sim, o relatório do COI “JEUX DE LA XXXIe OLYMPIADE – RAPPORT DU GROUPE DE TRAVAIL 2016, publicado em março de 2008” em que avaliava as cidades aspirantes aos Jogos de 2016 mostra na página 20 o seguinte texto que dispensa tradução:

    La candidature de Rio de Janeiro 2016 est présentée conjointement par le CNO et lês trois niveaux de gouvernement du Brésil – l’autorité fédérale, l’état et la ville. Le comité de candidature est présidé par un conseil honoraire comprenant le président de la république fédérative du Brésil, le gouverneur de l’état de Rio de Janeiro, le maire de la ville de Rio, les membres du CIO dans le pays et le président du CNP. Le conseil exécutif est dirigé par le président du CNO. Il est composé des plus hauts représentants des trois niveaux de gouvernement habilités à prendre des engagements.
    Les quatre garanties requises ont été fournies. Le président du Brésil, le gouverneur de l’état de Rio et le maire de la ville de Rio ont signé les garanties et lês engagements requis par le CIO, de même que quelques engagements
    supplémentaires.
    “ La candidature de Rio 2016 indique qu’il n’existe aucun obstacle juridique à l’organisation et à l’accueil des Jeux Olympiques.
    Un sondage d’opinion effectué par le comité de candidature montre une adhésion de 78% dans la ville et dans l’état de Rio de Janeiro et de 60% à l’échelle nationale. Le sondage du CIO montre une adhésion de 77% à Rio et dans ses environs.”

    O Brasil no desejo de mostrar que o país incorporou a causa olímpica e futebolística mais do que qualquer outro país do mundo. Aqui os dois eventos foram tratados como questão prioritária de Estado em lugar de serem dois grandes eventos, mas apenas isso.

    Curtir

  2. albertomurray Says:

    Caro, essa conta sairá polpuda. O CIO põe isso aí no Relatório para justificar as aberrações que impõe depois. Abraços. Alberto

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: