O Maestro Eleazar de Carvalho.

Li ontem uma nota no jornal que o grande Maestro Eleazar de Carvalho será homenageado. Lembrei-me de uma história legal, que compartilho com Vocês.

Meu bisavô materno, João Avelino de Magalhães Padilha, era Capitão de Mar e Guerra da marinha brasileira (também era campeão sulamericano de esgrima). Trabalhava para ele, limpando convés de navio, um menino pobre que, nas horas vagas, tocava flauta.

Meu bisavô um dia chamou o garoto e disse: “Você tem jeito para música. Eu vou lhe dispensar antes do serviço, mas Você vai estudar música”.  E assim foi.

O menino foi estudar música e tornou-se um dos maiores Maestros de sempre, respeitado no mundo inteiro por sua competência. Seu nome? Eleazar de Carvalho.

Já consagrado, Eleazar mudou-se para os EUA, aonde foi Professor Universitário e consolidou sua brilhante carreira.

Na década de setenta, meu tio, Pedro de Magalhães Padilha, asumiu a Secretaria de Esportes, Turismo e Cultura do Estado de São Paulo. Um de seus projetos era reavivar a Orquestra Sinfônica do Estado, a “OSESP”. Queria Eleazar na direção da sinfônica.

Eleazar veio passar férias no Rio de Janeiro. Meu tio enviou uma pessoa para encontrá-lo, que fez o convite: ” Maestro, o Secretário quer que o senhor seja o diretor da OSESP, que ele vai recriar”.

A resposta veio de bate pronto: “Não. Estou bem nos Estados Unidos. O Brasil não dá atenção à música clássica, à cultura”.

O seu interlocutor, então, utilizou-se de um último argumento: “Maestro, então vou lhe contar uma coisa, que me pediram para dizer-lhe somente em último caso. O Secretário em São Paulo é o Pedro Padilha, neto do Capitão João Avelino.”

Eleazar disse: “Então diga ao Secretário que estou indo para São Paulo imediatamente”.

Eleazar passou a dividir o seu tempo entre os EUA e São Paulo. Foi brilhante diretor da OSESP. Todas as segundas-feiras havia apresentações gratuitas da nossa orquestra, no teatro São Pedro, aonde, pequeno, eu ía vê-lo reger, acompanhado da minha mãe. 

Foi um privilégio ter conhecido e convivido com o Maestro, que deixou uma família fantástica, de músicos também respeitáveis.

Categorias olimpismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close