Folha de São Paulo Analisa Fuga do Presidente do COB, por Eduardo Ohata

03/12/2008 – 10h11

Nuzman foge de crítico em audiência no Senado

EDUARDO OHATA
da Folha de S.Paulo

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, alegou compromisso para abandonar audiência pública no Senado após breve apresentação em Brasília, na terça-feira. Na reunião foram discutidos os resultados do Brasil na Olimpíada de Pequim e os recursos públicos ao esporte.

A atitude de Nuzman, classificada de “incomum” e de “deselegante”, provocou mal estar entre os senadores. Alberto Murray Neto, integrante do COB e crítico da atual gestão, que também se apresentou, aproveitou para declarar publicamente que “sabia que ele [Nuzman] ia ficar com medo”.

Segundo a reportagem apurou, Nuzman questionou o convite a Murray Neto a membros da Comissão de Educação, Cultura e Esporte. Ao ouvir confirmação de que o colega participaria da reunião, pediu que sua apresentação fosse a inicial.

O assessor de Nuzman que se encontrava em Brasília não respondeu ligação da reportagem até as 20h de ontem para comentar esse tema.

Ao ser informados por Nuzman que ele teria de se ausentar devido a “compromisso” e que o COB responderia depois as questões dos senadores, vários protestaram. A audiência estava marcada há semanas.

Foi o caso de João Pedro (PT-AM), que formulara questão a Nuzman, e os autores do requerimento da audiência, Marisa Serrano (PSDB-MS) e Sérgio Zambiasi (PDT-RS). Afinal, argumentaram, não é normal a figura principal de um audiência deixar a reunião. E a idéia seria aproveitar sua presença para dirimir suas dúvidas “in loco”.

“E agora, quem é que vai responder as nossas dúvidas pelo comitê?”, questionou Pedro.

Murray Neto aproveitou para também alegar compromisso e antecipar sua apresentação. Foi uma estratégia para preservar o impacto –falou em terceiro, após Djan Madruga, secretário nacional de alto rendimento do ministério do Esporte, que representou a pasta.

O superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, que havia saído com Nuzman e voltara para acompanhar a reunião, detectado por senadores e pelo secretário da comissão, foi então chamado para compor a mesa.

Representou o comitê na segunda metade da audiência, quando os senadores fizeram perguntas. O seu contraponto foi Murray Neto, que, mantendo a tônica de sua apresentação, seguiu atacando o COB.

À argumentação do superintendente, de que o legado do Pan-07 foi a capacitação de pessoal para organizar grandes competições, contrapôs o fato de que o COB contrata muitas consultorias de fora do Brasil.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u474405.shtml

 03/12/2008 – 10h30

Deputada se surpreende com dinheiro público no COB

EDUARDO OHATA
da Folha de S.Paulo

Em uma amostra da pouca familiaridade do Congresso com o tema esporte, a co-autora do requerimento da audiência pública com o COB, a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), reconheceu que ficou sabendo somente na terça-feira que o comitê é o destino de muito dinheiro público.

“Me falaram que o COB recebe dinheiro público. Para mim é novidade, achei que se mantinha com recursos próprios. Se é assim, acho que preciso me debruçar melhor sobre o COB”, disse Marisa.

Em dado momento, cheia de dedos, alertou a audiência para a estranheza de uma sugestão sua. “Não sei se é uma ‘idéia doida’, mas para que tanta preocupação em receber Pan e Olimpíada se não fica nada para o povo? É melhor que esse dinheiro seja investido em algo que a população use”, disse Marisa.

Ela ouvira pouco antes da ex-jogadora Ana Moser que o esporte de alto rendimento “é para poucos”. “O que ela falou é real. Mas é preciso que exista um trabalho na base. Não é necessário sermos um país de atletas, porém de desportistas”, definiu a senadora, que presidiu a polêmica CPI dos Cartões.

Na semana passada, Nuzman passou praticamente incólume durante audiência pública na Câmara dos Deputados. Não houve um contraponto como Alberto Murray Neto na oportunidade.

Ontem, pessoas presentes à apresentação de Carlos Arthur Nuzman atacaram a superficialidade de sua apresentação. Alegaram que mostrou praticamente só o organograma da entidade e pouco mais do que isso.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u474409.shtml

Categorias olimpismo

2 comentários em “Folha de São Paulo Analisa Fuga do Presidente do COB, por Eduardo Ohata

  1. Caro Sr. Alberto:

    Venho acompanhando seu blog desde a publicação de seus textos no site http://www.bestswimming.com.br.

    Sou atleta de natação com 2 participações olímpicas e sempre tive questionamentos e dúvidas quanto a administração do COB e da CBDA.

    Não sou bem quisto por esses orgãos justamente por questionar e “bater de frente” com os “chefões” dos mesmos.

    Mas queria apenas dizer que, mesmo não conhecendo o senhor pessoalmente, lhe considero meu ÍDOLO!

    Muito obrigado por defender o que é certo!

    Um grande abraço!

    Eduardo Fischer.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close