Montreal 1.976 e Rio de Janeiro 2.016.

 Abaixo o texto recebido de um leitor deste Blog, comparando o desempenho olímpico do Canadá nos Jogos de Montreal, em 1.976 e o que poderia ser o do Brasil, caso o Rio de Janeiro viesse a ser sede dos Jogos de 2.016.

Pessoalmente, como já disse, não ligo muito para o desempenho de uma nação no quadro de medalhas. Até porque ele é injusto da forma como é feito e não reflete, necessariamente, a realidade esportiva de um País. Para o Comitê Internacional Olímpico (“CIO”), de acordo com a Carta Olímpica, os Jogos não têm vencidos e nem vencedores. A classificação por medalhas de outro é apenas uma referência, para dar mais realce à competição. E não medalhas de ouro que determinam se um país é grande, ou não. O fato é que quando Montreal sediou os Jogos de 1.976, tanto a Cidade, bem como o País, já eram uma grande potência em saúde, economia, transportes, habitação, segurança, infra-estrutura e tudo mais. E pode dar-se ao luxo de sediar aqueles Jogos Olímpicos. Àquela altura, a participação da iniciativa privada em empreendimentos desportivos daquele porte era quase nula. Durante anos e anos (muitos anos mesmo), a Cidade de Montreal ainda pagava despesas decorrentes da boa organização que fizeram.

Em 1.980, os Jogos foram promovidos pela URSS. Dinheiro não faltou. O Estado assumiu todas as despesas, sem cortes, pois no auge da Guerra Fria, queriam mostrar ao mundo a potência do regime comunista.

Já em 1.984, houve uma radical mudança no pensamento olímpico. Sob a batuta de Juan Antonio Samaranch, abrirarm-se os Jogos para o patrocínio privado.  Os Jogos de Montreal, como falado, foram execelentes. Mas deixaram dívidas imensas no Município. Ninguém queria mais passar por isso. Quase que não há candidatos para os Jogos de 1.984, não tivesse existido a permissão do CIO para aceitar a atuação da iniciativa privada na organização das Olimpíadas. E assim o foi. Foram os primeiros Jogos Olímpicos onde pode-se notar, claramente, a influência das empresas privadas no mundo olímpico, até então muito discreta e sob as rígidas normas do amadorismo. Foi, também, em Los Angeles que começaram a ser aceitos Atletas profissionais de alguns esportes. À partir daí, essa influência passou a ser cada vez maior, embora ainda não se permita que, nos campos de jogo, coloquem-se placas de patrocínio. Se por um lado o CIO perde com isso, por outro, pode vender às televisões imagens “limpas” e, portanto, mais valorizadas.

Mas o fato é que o Brasil de hoje ainda está longe de ser o Canadá de 1.976 e, por isso, não tem condições de sediar Jogos Olímpicos. Antes de o Rio de Janeiro ser candidato, ou qualquer outra Cidade deste País, deveríamos atentar para os nossos sérios problemas sociais.

“Em 1967 o Canadá sediou a 5ª edição dos Jogos Pan-Americanos na cidade de Winnipeg.

 
  Como teve um ótimo desempenho sendo superado apenas pela super-potência americana
 ( acompanhar Quadro geral de medalhas ) :
 
 
 
  O Canadá lançou mão de outra cidade ( Montreal ) como cidade candidata aos Jogos Olímpi-
 cos de 1976.
 
  Em que pese haver outras fortes cidades na disputa ( Los Angeles e Moscou ) , Montreal supe-
 rou suas adversárias e sediou a 21ª edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.
 
  Porém como planejavam as autoridades locais e o comitê olímpico local , o Canadá não obteve
 o mesmo sucesso que obtera 9 anos antes nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg ; pelo con-
 trário ; o desempenho canadense nos Jogos de Montreal foi um rotundo fracasso:
 
 
 
  Pois bem , a história pode se repetir e justamente com o Brasil ; pois se em 2007 sediamos o
 Pan no Rio ; alcançando um bom resultado ( 3ª posição no geral ) :
 
 
 
  Agora aspiramos a sede dos Jogos de 2016 ; e veja a coincidência ; 9 anos após termos sedia-
 do os Jogos Pan-Americanos.
 
  A pergunta que fica:
 
  Sem infra-estrutura para tanto ; assim como a ausência de uma política de ESTADO para o es-
 porte ; não estaríamos diante de uma “nova Montreal” ?  “
 
Categorias olimpismo

3 comentários em “Montreal 1.976 e Rio de Janeiro 2.016.

  1. Nilson Duarte Monteiro novembro 18, 2008 — 12:39 pm

    Olá Alberto,

    Montreal levou vinte anos para pagar os Jogos de 1976, assim mesmo, porque ele já tinha algumas praças esportivas prontas antes dos jogos. Agora, imagine o Brasil que vai querer construir tudo novinho, ou você acha que o Engenhão vai servir para os Jogos?? Vão dizer que o Engenhão já está ultrapassado e coisa e tal.

    Assim sendo, mais dinheiro público para o ralo, ralo esse que desemboca em algum paraíso fiscal.

    Curtir

  2. Alberto – sobre esse Engenhão – pura curiosidade minha – será que você pode satisfaze-la?? Como é que esse monumental estádio virou o estádio do Botafogo – que nem ao menos está pagando o salário mensal dos atletas? Como foi esse acordo, que deve envolver COB, por causa dos Jogos, a Munucipalidade, em sua gestão anterior, o Botafogo, como interessado e agraciado com tamanha dádiva?? Não é à toa que não podem pagar salários. Creio que a verba teve, antecipadamente, outros destinos. O havelange deveria se envergonhar, pois mais que não ter nascido no Engenho de Dentro, sempre ficou fora de escândalos e é um homem honrado. Me conta essa estória, por favor.

    Curtir

  3. Nilson Duarte Monteiro novembro 21, 2008 — 12:03 pm

    Heitor,

    Você deveria ler o livro “Os Senhores dos Anéis, Poder, dinheiro e Drogas nas Olimpíadas Modernas”, aí você vai ver quem é o Sr. Havelange.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close